O princípio básico da Defesa Civil é a redução dos desastres e o retorno à situação de normalidade, que poderá ser alcançada através de duas maneiras distintas. A primeira é através da diminuição da ocorrência de eventos adversos potencialmente causadores de desastres. A segunda é através da redução de sua intensidade, que pode ser conseguida com a implementação de ações preventivas, de preparação e resposta a esses eventos adversos.

Segundo a política nacional de Defesa Civil, o planejamento em Defesa Civil deverá ser implementado mediante programas específicos e considerando os seguintes aspectos globais:

A – Prevenção de Desastres – Conjunto de ações destinadas a reduzir a ocorrência e a intensidade de desastres naturais ou humanos, através de avaliação e redução das ameaças e/ou vulnerabilidades, minimizando os prejuízos socioeconômicos e os danos humanos, materiais e ambientais

B – Preparação para Emergência e Desastres: Conjunto de ações desenvolvidas pela comunidade e pelas instituições governamentais e não-governamentais, para minimizar os efeitos dos desastres, através da difusão de conhecimentos científicos e tecnológicos e da formação e capacitação de recursos humanos para garantir a minimização de riscos de desastres e a otimização das ações de resposta aos desastres e de reconstrução.

C – Resposta aos Desastres -Conjunto de ações desenvolvidas imediatamente após a ocorrência de desastre e caracterizadas por atividades de socorro e de assistência às populações vitimadas e de reabilitação do cenário do desastre, objetivando o restabelecimento das condições de normalidade.

D – Reconstrução – Conjunto de ações desenvolvidas após as operações de resposta ao desastre e destinadas a recuperar a infra-estrutura e a restabelecer, em sua plenitude, os serviços públicos, a economia da área, o moral social e o bem-estar da população.

A defesa é responsabilidade de todos, Governo e Comunidade. Sabe também que, para tanto, é necessário um alto grau de conscientização, por isso norteia suas atividades no sentindo de que todos participem, sintam-se parte integrante do sistema; afinal de contas, é melhor PREVENIR PARA NÃO REMEDIAR.